Olhos secos, vermelhos, ardendo e coçando nunca devem ser considerados como uma situação normal do dia a dia. A realidade é que esses sinais podem ser um alerta para a Síndrome da Disfunção Lacrimal ou Síndrome do Olho Seco. Condição que, se não tratada corretamente, pode trazer sérias consequências para a saúde ocular. Neste artigo, vamos compartilhar informações importantes  para você saber mais sobre o que é a Síndrome do Olho Seco, seu tratamento e prevenção.

Olho seco: o que é?

Comumente relacionadas à expressão de emoções, as lágrimas têm um papel muito importante para a saúde dos olhos. Além de limpar o globo ocular – elas protegem os olhos de fatores externos, como partículas de sujeira, micro-organismos -, as lágrimas são responsáveis por lubrificar os olhos.

O que acontece é que, com o clima frio e seco, pode ocorrer um comprometimento da produção das lágrimas pelas glândulas lacrimais causando o ressecamento da superfície do olho. Quando isso acontece, os olhos ficam vermelhos, e a sensação de ardência e coceira causam desconforto e até visão embaçada.  

Outros fatores que podem causar a Síndrome do Olho Seco:

Menopausa e uso de anticoncepcionais: mulheres que estão na menopausa ou que usam pílulas contraceptivas podem apresentar alterações hormonais que comprometam o funcionamento das glândulas lacrimais.

Menopausa e uso de anticoncepcionais: mulheres que estão na menopausa ou que usam pílulas contraceptivas podem apresentar alterações hormonais que comprometam o funcionamento das glândulas lacrimais.

Medicamentos: uso de antialérgicos, anti-inflamatórios, antidepressivos, remédios para a acne ou para a hipertensão.

Outras doenças: doenças como artrite reumatoide, lúpus e Síndrome de Sjögren (distúrbio imunológico que causa secura nos olhos e na boca).

Outras lesões oculares: a produção das lágrimas também pode ser afetada pela existência de cistos, em casos de conjuntivite, blefarite (inflamação na região dos cílios).

Pós-operatório de cirurgias oculares.

Sintomas e complicações

Os principais sintomas da Síndrome do Olho Seco proveniente da falta de lubrificação são: vermelhidão, ardor e a sensação de que há areia nos olhos. Em casos mais graves, é comum apresentar sensibilidade à luz e desconforto ao piscar.

Sem o tratamento adequado, podem ocorrer algumas complicações, como a ceratite, já que, sem a devida lubrificação, os olhos ficam mais suscetíveis a infecções por vírus ou bactérias por exemplo.

Como tratar o olho seco?

Caso apresente sinais da Síndrome do Olho Seco, procure um especialista. Ele investigará a causa do problema e, se necessário, irá receitar um lubrificante ocular – que pode ser em forma de colírio, gel ou pomada.

Evite complicações: nunca use colírios de outras pessoas ou trate o problema por conta própria.

Como prevenir a Síndrome do Olho Seco:

●Evite ficar muito tempo em ambientes com ar-condicionado e ventilador ligados.

Reduza o tempo diante do computador. Se não for possível, descanse os olhos fazendo pausas de alguns minutos a cada hora.

Em tempo seco, use umidificador.

Beba bastante água. O ideal é tomar mais de um litro por dia. Ingerir líquidos é importante para garantir que nosso organismo tenha “matéria-prima” para produzir a quantidade necessária de lágrimas, responsáveis pela lubrificação natural dos olhos.

Evite colocar as mãos nos olhos. Para aliviar a coceira e a sensação de ressecamento, pisque várias vezes seguidas.

Sempre use óculos escuros ao ar livre. Além do sol, você também deve proteger os olhos  do vento e das impurezas do ar.

Previna-se e garanta a saúde dos seus olhos! Para mais esclarecimentos, consulte a nossa equipe de especialistas. Agende uma consulta.

Está com alguma dúvida? Envie sua pergunta para que possamos te ajudar.

Leia também

  • Neurovisão
    Síndrome de Irlen: um distúrbio no processamento visual
    Enjoos em viagens de carro, dores de cabeça muito fortes após esforços visuais prolongados e sensibilidade à luz.
    saiba mais
  • Tratamentos
    Calázio ou terçol: entenda a diferença e como tratar
    Apesar dos sintomas parecidos, calázio e terçol são problemas oculares diferentes e exigem cuidado.
    saiba mais
  • Cuidados
    Conjuntivite: tipos, sintomas e tratamentos
    Conheça os sintomas mais comuns da conjuntivite.
    saiba mais

Quer receber mais conteúdo? Assine!

Marque sua consulta!