conjuntivite

 

Além de muita diversão e alegria, o verão também costuma trazer um aumento nos casos de conjuntivite. A inflamação da conjuntiva, membrana transparente que recobre a esclera (aquela região popularmente conhecida como branco do olho), causa bastante incômodo, mas tem cura e não costuma deixar sequelas.

É importante conhecer bem os sintomas e entender os tipos da doença para buscar ajuda médica ao menor sinal do problema. Assim, você pode diminuir os desconfortos e evitar qualquer tipo de complicação. Saiba mais sobre o assunto!

Quais são os sintomas mais comuns da conjuntivite?

Caracterizada pelo grande incômodo que causa nos olhos, a conjuntivite costuma durar entre uma semana e 20 dias. É comum que a inflamação atinja primeiro um dos olhos mas, com a proximidade entre eles, os dois acabam afetados em um prazo de cerca de 48 horas. Os sintomas mais comuns são:

● Vermelhidão

● Coceira

● Lacrimejamento

● Inchaço nas pálpebras

● Secreção

● Visão borrada ou embaçada

● Dor intensa nos olhos em locais muito iluminados

● Dificuldade para abrir os olhos ao acordar

● Desconforto persistente, como se houvesse areia nos olhos

Tipos de conjuntivite

O clima quente e úmido costuma favorecer a propagação da conjuntivite do tipo viral, mas outras formas da doença também podem se manifestar com alguma frequência. Saiba quais são elas:

Conjuntivite alérgica

Provocada pelo contato com substâncias irritantes, como pelos de animais, produtos de limpeza, mofo e pó, a conjuntivite alérgica não é contagiosa e costuma vir acompanhada de espirros, coriza e uma secreção ocular de consistência aquosa.

Conjuntivite viral

Forma mais comum da doença, a conjuntivite viral geralmente é provocada pelo adenovírus e pode vir associada a um quadro geral de febre, dor de garganta, mal estar e uma secreção nos olhos de coloração esbranquiçada em pequenas quantidades, que pode levar até 20 dias para desaparecer.

A doença é transmissível e o contágio acontece principalmente por meio das secreções oculares. Caso a pessoa contaminada apresente sintomas como tosse e espirros, o vírus também pode ser transmitido através do contato com esses fluídos. No entanto, é importante deixar claro que a conjuntivite não é transmitida pelo ar.

Conjuntivite bacteriana

Existem alguns tipos de bactérias que provocam o problema e a transmissão acontece quando há contato com secreções de uma pessoa contaminada. Ainda que a conjuntivite seja um problema ocular, esse fluido pode estar na pele, e apenas um toque pode provocar a contaminação de outra pessoa.

Diferente do que acontece nos outros casos, a secreção da conjuntivite bacteriana é amarelada, purulenta e mais volumosa, demorando entre 5 a 7 dias para desaparecer.

 

conjuntivite

 

Tratamentos para conjuntivite

Apesar de bastante incômoda, a conjuntivite tem solução. E por mais  simples que seja, o tratamento é de suma importância, já que a doença pode acometer a córnea e comprometer a qualidade da visão. Portanto, ao menor sinal de contágio, é fundamental que você procure um oftalmologista.

Como têm agentes causadores diferentes, cada conjuntivite requer um tipo de cuidado. Por isso, apenas um profissional especializado pode realizar o diagnóstico correto e prescrever o tratamento mais adequado para o seu caso.

Em nenhuma hipótese recorra à automedicação para resolver o problema. Alguns colírios são contra-indicados porque podem agravar os sintomas e até mesmo causar complicações.

Ainda que só um oftalmologista possa indicar colírios e outros medicamentos para tratar ou amenizar os sintomas da conjuntivite, algumas medidas podem ser tomadas imediatamente para minimizar desconfortos e evitar complicações:

● Lave bem as mãos sempre que for tocar nos olhos.

● Suspenda imediatamente o uso das lentes de contato.

● Faça compressas usando uma gaze com soro fisiológico ou água gelada filtrada ou fervida.

Se não houver melhora no prazo de uma semana, é importante voltar ao médico para que ele faça uma reavaliação do caso e, se necessário, prescrever outro tratamento.

Como prevenir e evitar a propagação da conjuntivite

Mesmo que seja muito difícil eliminar as chances de contrair conjuntivite, algumas medidas podem ser tomadas tanto em caráter preventivo como para evitar a propagação da doença, caso você ou alguém da sua família já esteja contaminado. Saiba o que é possível fazer:

 

Previna-se!

Evite a transmissão!

Lave as mãos com frequência  e evite levá-las aos olhos;

Evite colocar a mão nos olhos para diminuir os riscos de recontaminação;

Em nenhuma hipótese empreste sua maquiagem ou peça a de outra pessoa;

Não compartilhe objetos de uso pessoal, como lençóis, talheres e travesseiros e toalhas;

Não use toalhas de rosto em locais públicos;

Evite frequentar piscinas, ambientes fechados ou com grande quantidade de pessoas;

Sempre use óculos de proteção quando for nadar;

Não encoste o frasco do colírio ou qualquer medicamento que estiver utilizando nos olhos;

Não use colírios ou outros medicamentos prescritos para outras pessoas.

Busque acompanhamento de um oftalmologista e siga fielmente todas as orientações.

 

Como você pode ver, embora não seja grave, a conjuntivite inspira cuidados para evitar maiores complicações. Por isso, não hesite em marcar uma consulta com um de nossos médicos especialistas e garanta o seu bem-estar e o de sua família!

Está com alguma dúvida? Envie sua pergunta para que possamos te ajudar.

Leia também

  • Neurovisão
    Como problemas de visão podem afetar a estabilidade postural?
    Manter uma boa postura não é apenas se preocupar com as temidas dores nas costas, é também entender que ela pode ter relação com o seu sistema visual.
    saiba mais
  • Cuidados
    Como o uso excessivo da tecnologia pode prejudicar a sua visão?
    Saiba como o uso excessivo de aparelhos eletrônicos afetam diretamente o funcionamento do seu metabolismo e do sistema visual.
    saiba mais
  • Neurovisão
    Síndrome de Irlen: um distúrbio no processamento visual
    Enjoos em viagens de carro, dores de cabeça muito fortes após esforços visuais prolongados e sensibilidade à luz.
    saiba mais

Quer receber mais conteúdo? Assine!

Marque sua consulta!