Você sabia que o astigmatismo não passa de um erro de refração? Muitas vezes confundido com doença, o problema pode ser corrigido com óculos, lentes de contato ou até mesmo com cirurgia.

Ainda assim, no Brasil, estima-se que existam 14 milhões de pessoas com dificuldade em enxergar por causa de problemas de refração – além do astigmatismo, a miopia, a hipermetropia e a presbiopia.

Dentre as crianças, o número é 33 mil, o que é preocupante, já que cerca de 20% dos episódios de baixo rendimento escolar estão relacionados a esses problemas de visão.

A seguir, vamos analisar alguns sintomas que podem indicar astigmatismo. Você verá quais as opções de tratamento, que podem melhorar bastante sua qualidade de vida, caso você sofra desse mal.

O que é o astigmatismo

A córnea é a parte do nosso olho responsável por passar as informações, ou imagens, para a nossa retina. Quando há alguma irregularidade em sua superfície, , o que chamamos de erros de refração.

Cada um desses erros tem uma causa diferente. Como explica o Dr. Raul Damásio, especialista em Astigmatismo do Hospital de Olhos, o astigmatismo se caracteriza pela córnea com vários focos de imagem, o que nos faz enxergar tudo um pouco embaçado. É como se fosse uma TV desfocada, onde vemos fantasmas ao redor das imagens.

No caso do astigmatismo, todas as imagens são difíceis de ver, não importando sua posição. Um míope, por exemplo, tem problemas para enxergar o que está longe – se chegar o livro para perto, conseguirá ler. Com o astigmatismo, isso não acontece.

Como identificar o astigmatismo pelos sintomas

Entretanto, muitas pessoas possuem mais de um erro de refração. Na verdade, cerca de 50% dos míopes também sofrem do problema. Por isso, você pode ver imagens desfocadas e ao mesmo tempo ter dificuldade para enxergar o que está longe.

Em crianças fica mais complicado identificar o problema, já que elas não sabem dizer exatamente quais dificuldades têm para enxergar. Por isso, listamos outros sintomas que indicam astigmatismo, para você reparar se ocorrem em pessoas de sua família:

  • Cansaço visual (vista cansada, olhos secos).
  • Dor de cabeça e náuseas.
  • Dificuldade para enxergar à noite.
  • Necessidade de apertar os olhos para tentar focalizar as imagens.
  • Olhos que lacrimejam.

Dentre os sintomas, o mais evidente é o cansaço visual. Um estudo realizado com uma população brasileira do Sudeste revelou que pacientes com astigmatismo reclamam desse problema em mais de 60% das vezes.

Crianças costumam ter muito desses sintomas, especialmente por causa das atividades escolares. Tanto as aulas quanto os estudos em casa requerem muitas horas de concentração, o que pode sobrecarregar a visão, especialmente quando é necessário um esforço maior para superar o problema de refração.

 A pessoa com astigmatismo enxerga assim.

Quem consultar sobre a suspeita de astigmatismo

Se você suspeitar que sofre de astigmatismo ou que alguém da sua família possa sofrer, consulte o oftalmologista. Ele será capaz de medir o seu grau e fornecer o tratamento adequado para a correção. Você não vai precisar de nenhum tipo de remédio.

Para realizar o diagnóstico, o médico utiliza procedimentos de rotina dos exames oculares. Ele estima a quantidade de astigmatismo observando os olhos com luzes e lentes, em um processo chamado de retinoscopia.

A fim de preservar a visão de crianças , é interessante levá-las aos profissionais da visão o quanto antes. Assim, evitamos que elas sofram com a dificuldade de enxergar, podendo passar por correções ainda bem cedo.

Indicamos visitar tanto o pediatra quanto o oftalmopediatra especializado em crianças enquanto ainda forem recém-nascidos, no início dos anos escolares e com intervalos de um ano a partir daí.

É importante destacar ainda que o astigmatismo é hereditário. Ou seja, se você ou outros membros da família também possuírem algum erro de refração, é bem provável que seus filhos tenham herdado.

Além disso, pode ser adquirido: quem esfrega muito os olhos pode contrair erros de refração. O astigmatismo ainda pode ser causado por lesões na córnea e ceratocone, que é um problema que causa o afinamento da córnea.

Se sentir que você ou alguém da família não está conseguindo realizar suas atividades diárias, consulte um médico especialista. A visão nítida proporciona melhor qualidade de vida.

Como o astigmatismo é tratado

Os óculos e as lentes de contato são a forma mais comum de tratamento dos problemas de refração, incluindo o astigmatismo.

Mas quem tem astigmatismo ainda pode se submeter à cirurgia refrativa, que corrige esse e outros problemas. Chamado de LASIK, o procedimento é permanente e de alta precisão para corrigir problemas de refração. Após a cirurgia, não será mais necessário o uso dos óculos ou das lentes.

O Hospital de Olhos Dr. Ricardo Guimarães é referência em cirurgia de refração. Fique livre do astigmatismo: não deixe de nos fazer uma visita! Para saber mais, entre em contato.

Está com alguma dúvida? Envie sua pergunta para que possamos te ajudar.

Leia também

  • Tratamentos
    Calázio ou terçol: entenda a diferença e como tratar
    Apesar dos sintomas parecidos, calázio e terçol são problemas oculares diferentes e exigem cuidado.
    saiba mais
  • Cuidados
    Conjuntivite: tipos, sintomas e tratamentos
    Conheça os sintomas mais comuns da conjuntivite.
    saiba mais
  • Tratamentos
    Mitos e verdades: craques podem usar óculos para jogar futebol?
    Será que atletas podem usar óculos para jogar futebol? Entenda como é possível manter a carreira.
    saiba mais

Quer receber mais conteúdo? Assine!

Marque sua consulta!