Quem nunca escorregou, deu um tropeção, calculou mal um passo, perdeu o equilíbrio e foi ao chão? Certamente, em algum momento ou vários momentos da vida, você já passou por isso. Cair pode acontecer em qualquer idade, mas as quedas têm consequências bem diferentes para cada pessoa. Quando somos crianças temos muito mais resistência aos tombos, o que já não acontece na terceira idade.

Além das situações normais de distração e desequilíbrio, problemas visuais, como o Glaucoma, podem causar quedas com graves consequências.   Principalmente para pessoas idosas. Quer entender como isso pode acontecer? Nesse artigo vamos explicar melhor o que deve estar funcionando bem para manter o equilíbrio corporal e quais são os problemas visuais que podem aumentar os riscos de quedas.

 

Entendendo o equilíbrio do corpo humano

Para manter o seu corpo de pé, você precisa muito mais do que apenas força. O equilíbrio corporal depende de algumas partes do corpo, são elas: cerebelo, labirinto, sensibilidade (proprioceptiva) e a visão.

O cerebelo é a parte do cérebro que controla nosso equilíbrio. Ele atua juntamente com o labirinto, órgão relacionado à audição e posição da cabeça. À sensibilidade (proprioceptiva), é formada pelos músculos, articulações, tendões e ligamentos. E da visão a responsabilidade pela orientação espacial e sentido de verticalidade do nosso corpo. Seja para ficar de pé ou sentado, todos esses componentes devem atuar em total sintonia, para um perfeito equilíbrio. A boa visão é fundamental para manter o equilíbrio do corpo.

Ou seja, a visão tem papel determinante para que a gente fique de pé, retos, com a cabeça equilibrada e alinhada sobre os ombros, e sem pendermos para um lado, para frente ou para trás. Por exemplo, você já fechou os olhos e tentou caminhar em linha reta? Ou já reparou como a sua sensação de equilíbrio e firmeza para caminhar ficam comprometidos em ambientes pouco iluminados?

Se algo não vai bem em alguma parte desse sistema corporal, responsável pelo nosso equilíbrio, as quedas podem passar a acontecer com frequência.

Saiba mais sobre visão e postura aqui.

 

Por que as quedas são comuns na terceira idade?

Um fator importante, que deve ser considerado, para as quedas, principalmente na terceira idade, são as degenerações naturais do corpo e de todo o sistema responsável por manter a nossa estabilidade postural. Porém, no artigo de hoje, focamos na visão.

As alterações visuais na terceira idade tem grande declínio com a delimitação da acuidade visual. Após a sexta década de vida, existe uma diminuição, que acontece gradativamente, podendo chegar até a 80% de perda. E esse número aumenta com o passar das décadas.

Doenças como a presbiopia, tem início por volta dos 40 a 50 anos. Ela acontece de forma gradual. Ela pode ser um dos primeiros sintomas de que os olhos estão envelhecendo. A Catarata, a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) e o Glaucoma estão entre as doenças oftalmológicas mais frequentes nos idosos.

E não é apenas a acuidade visual que pode favorecer as quedas. Outros fatores relacionados à visão podem contribuir, como a percepção de profundidade e contraste.

 

Como os problemas visuais podem provocar as quedas

Como falamos, geralmente, as quedas acontecem pela diminuição do controle de equilíbrio do corpo. Mas, quando existe um problema visual, podem acontecer com muito mais frequência.

Doenças como a Catarata e o Glaucoma, comuns na terceira idade, causam a visão embaçada, nublada e/ou turva, além de causarem a redução no campo de visão. Essa combinação de fatores, é uma das principais causas das quedas em idosos.

Embora o Glaucoma e a Catarata sejam as doenças de alta incidência em pessoas acima de 50 anos, é importante manter a atenção redobrada para identificar todos os problemas que podem resultar em alterações visuais.

 

Porque as quedas são mais graves em idosos

E é importante manter os idosos sob cuidados e com a saúde visual em dia para evitar as quedas. Na terceira idade elas causam complicações ainda maiores. Por exemplo, quando um jovem cai, ele pode ter uma fratura no quadril. A mesma queda em um idoso, pode causar um traumatismo craniano.

Além da recuperação mais lenta, esses casos podem se complicar ainda mais no pós-operatório de cirurgias pós queda. É importante que a família fique atenta a primeira queda, e busque a ajuda de um profissional.

 

Como identificar o Glaucoma? Quais são os principais sintomas?

O Glaucoma é uma doença oftalmológica que atinge mais de 60 milhões de pessoas no mundo. Ela se desenvolve de maneira lenta, mas é a segunda principal causa de cegueira não reversível.

Sua principal característica é a perda gradual da visão. Existem diferentes formas de tratar o Glaucoma. O médico oftalmologista poderá indicar a melhor opção para cada caso.

O Glaucoma se caracteriza pela diminuição da percepção de contrastes, dificuldade e lentidão para leitura, redução do campo visual e alterações na adaptação claro e escuro. Por isso, pessoas com Glaucoma são mais suscetíveis a perda de equilíbrio e quedas.  

 

Como prevenir e evitar quedas?

Além do tratamento dos problemas visuais como o Glaucoma,  é importante que as condições gerais de saúde do idoso seja controlada.  

Outros medidas também podem ajudar na prevenção de quedas, envolvendo cuidados individuais e coletivos. 

Para os idosos é fundamental manter uma rotina saudável e ativa. E para evitar acidentes, ao sentir dificuldades para andar,  utilizar objetos de apoio – como uma bengala, pode ser bem mais seguro. 

Já os cuidados coletivos, em ambientes onde circulam ou vivem várias pessoas além dos idosos, é necessário que todos contribuam para evitar acidentes. Por exemplo, manter áreas livres de obstáculos, como tapetes, mesinhas de centro, brinquedos e outros objetos que possam causar acidentes no simples ato de  andar pela casa. É importante também que os ambientes sejam bem iluminados e que o acesso seja facilitado, como, substituir escadas por rampas. 

A boa visão proporciona mais independência e mais qualidade de vida para os idosos. Consulte regularmente um médico oftalmologista. A equipe do Hospital de Olhos Dr. Ricardo Guimarães está à disposição para atender você e toda a sua família.

Está com alguma dúvida? Envie sua pergunta para que possamos te ajudar.

Leia também

  • CuidadosTratamentos
    Qual a diferença entre ceratocone e astigmatismo?
    Astigmatismo e ceratocone: entenda quais são os sintomas de cada doença, tratamento e o que elas podem ter em comum.   
    saiba mais
  • Cuidados
    Cuidados com os olhos para prevenir o Coronavírus
    Neste artigo, falamos das medidas de higiene e limpeza que você pode adotar para manter os cuidados com os olhos e protegidos de vírus como o COVID-19.
    saiba mais
  • Cuidados
    Quais cuidados você deve ter com os cílios?
    Destaque não apenas no Carnaval, a aplicação de cílios postiços ganharam espaço e se tornaram febre entre as mulheres. Mas afinal, eles podem fazer mal?
    saiba mais

Quer receber mais conteúdo? Assine!

Marque sua consulta!