Volta às aulas à vista. Hora de preparar os filhos para começar ou retomar os estudos. Providenciar todos os itens do material escolar e organizar a casa para a retomada da rotina.

No entanto, além das preocupações e providências com material, uniforme e  transporte, esse é também o momento ideal para fazer um check-up oftalmológico  e cuidar da saúde ocular dos filhos. Lembre-se: a má qualidade de visão pode trazer sérios prejuízos nas fases de alfabetização e de  aprendizagem de crianças e adolescentes.

A miopia e a hipermetropia, por exemplo, são problemas comuns nessa fase da vida, que podem prejudicar o desempenho escolar. Você sabia que, muitas vezes, o que parece ser falta de atenção ou desinteresse – ou até mesmo preguiça de estudar – pode ser pela dificuldade de enxergar o que está escrito no livro ou no quadro?

Por isso, atenção para alguns sinais importantes que podem indicar problemas de visão e saiba mais sobre como fazer o check-up  de volta às aulas!

Com que frequência devo fazer um check-up médico para evitar problemas de visão nas crianças?

Como muitas doenças ou distúrbios oculares não apresentam nenhum sintoma ou só se manifestam quando já estão em estágio avançado, é fundamental que você não abra mão de levar seus filhos para um check-up com o oftalmologista regularmente, de acordo com cada fase da vida.

Crianças até 2 anos: o ideal é que sejam submetidas à avaliação de um especialista a cada 6 meses

Crianças acima de 2 anos: devem fazer consultas anuais.

Uma boa ideia é fixar uma data a cada 12 meses, como antes do início de cada ano letivo, por exemplo.

Quais são os principais exames de visão realizados durante o check-up oftalmológico de rotina?

Em geral, o check-up de rotina é composto por uma série de exames indolores, como a avaliação externa dos olhos e das pupilas, testes de acuidade visual e motilidade ocular (que avalia a musculatura e o alinhamento dos olhos). Normalmente, a criança sente no máximo um incômodo causado pelo uso de colírios.

Exames complementares podem ser necessários dependendo de cada caso ou da idade da criança. Durante a consulta, é importante não esquecer de relatar sintomas como dores de cabeça, dificuldades de aprendizado, náuseas, coceiras nos olhos lacrimejamentos constantes ou outro sintoma que o paciente estiver sentindo.

Quais são os principais problemas de visão que o check-up pode detectar?

Durante a consulta, o oftalmologista pode verificar a presença de uma série de doenças ou condições que, quando não detectadas precocemente, podem não só prejudicar o desempenho escolar das crianças, como evoluir para problemas mais sérios. Conheça alguns dos problemas de visão mais comuns nessa fase da vida:

● Miopia: um erro refrativo que aparece quando o globo ocular é mais alongado, o que faz com que a luz seja focada antes da retina. O problema, que geralmente é descoberto entre os 8 e 12 anos e se agrava na adolescência, fazendo com que a criança tenha dificuldade de ver bem de longe, embora possa ver o que está próximo com nitidez. Leia mais sobre Miopia nesse post.

● Hipermetropia: nesse caso, o problema aparece quando o globo ocular é mais achatado e um pouco menor do que o usual, fazendo a imagem seja focada após a retina. Como os olhos das crianças são normalmente menores, o problema é bastante comum nos pequenos, e pode desaparecer na fase adulta, quando o globo ocular atinge o tamanho normal. Quem possui essa condição, com esforço, enxerga o que está mais distante, mas tem dificuldades de ver com nitidez o que está próximo. Entenda melhor sobre a Hipermetropia.

● Astigmatismo: as crianças com esse erro refrativo o possuem a córnea mais ovalada, o que provoca dificuldade em ver com nitidez de longe e de perto, já que este erro de refração deixa as imagens embaçadas e distorcidas. Saiba sobre os sintomas do astigmatismo.

● Estrabismo: o distúrbio é caracterizado por um desalinhamento dos olhos, no qual pode-se ter dificuldade em dirigir os dois olhos para o mesmo ponto. A maioria dos casos acontece na infância, mas pode ocorrer também na vida adulta e estar relacionado a outros problemas, como diabetes, doenças neurológicas, infecções e alterações genéticas. Ao contrário do que muita gente acredita, a condição não desaparece sozinha com o tempo e deve ser tratada por um oftalmologista.

● Ambliopia: também chamada popularmente de “olho preguiçoso”, o problema é provocado pelo desenvolvimento anormal de um dos olhos. Isso pode ocorrer por questões como o próprio relacionadas ao estrabismo ou por grandes diferenças de grau entre os dois olhos. Logo, aquele que teve menor desenvolvimento desenvolvimento participa muito pouco da visão. O problema pode ser reversível quando detectado precocemente.

● Ceratocone: a doença, mais comum na pré-adolescência, provoca sintomas como visão borrada e distorcida, coceira e sensibilidade excessiva à luz. Em seus estágios iniciais, o problema é corrigido com o uso de óculos e lentes de contato.

Além do check-up oftalmológico, que cuidados devem ser tomados com a visão?

Para garantir que a saúde dos olhos esteja sempre em dia, além de consultas regulares ao oftalmologista, é importante tomar vários cuidados. Na lista abaixo pontuamos as principais recomendações:

NUNCASEMPRE

 

Como você pode perceber, realizar um check-up oftalmológico  regular pode garantir, além da boa visão, uma vida mais feliz em família e melhores resultados dos filhos na escola.

Por isso, marque agora mesmo uma consulta com a nossa equipe de médicos especialistas!

Está com alguma dúvida? Envie sua pergunta para que possamos te ajudar.

Leia também

  • Neurovisão
    Síndrome de Irlen: um distúrbio no processamento visual
    Enjoos em viagens de carro, dores de cabeça muito fortes após esforços visuais prolongados e sensibilidade à luz.
    saiba mais
  • Cuidados
    Síndrome do Olho Seco: saiba como prevenir e tratar
    Olhos secos, vermelhos, ardendo e coçando nunca devem ser considerados como uma situação normal.
    saiba mais
  • Tratamentos
    Calázio ou terçol: entenda a diferença e como tratar
    Apesar dos sintomas parecidos, calázio e terçol são problemas oculares diferentes e exigem cuidado.
    saiba mais

Quer receber mais conteúdo? Assine!

Marque sua consulta!