Olhos inchados, ferida incômoda na pálpebra, vermelhidão, sensibilidade à luz e dor ao movimentar o globo ocular. Os sintomas são típicos do terçol, isto é, lesão infecciosa provocada por bactérias, bastante conhecida pela população em geral.

No entanto, o desconforto também pode indicar a presença de outro problema. Diferentemente do terçol, o calázio não surge de uma infecção bacteriana. Trata-se de um processo inflamatório que provoca a obstrução do canal de saída de uma glândula sebácea.  

Embora tenham sintomas parecidos, o calázio e o terçol exigem cuidados distintos. Somente um oftalmologista pode fazer o diagnóstico correto de qualquer tipo de problema ocular. Por isso, ao menor sinal dos sintomas, é importante consultar um médico especialista.

Geralmente, o terçol aparece mais próximo aos cílios, na borda da pálpebra, e apresenta vermelhidão, inchaço e incômodo mais acentuados que o calázio.

A evolução do problema, no entanto, é semelhante nas duas doenças. Normalmente, dois ou três dias após o surgimento do quadro, os sintomas desaparecem de maneira espontânea.

No caso do calázio, existe a possibilidade de que uma glândula mais profunda seja atingida, provocando o surgimento de um nódulo cronicamente inflamado, chamado pelos médicos de “granuloma”. Se isso ocorrer, aumentam as chances de que o problema volte a aparecer após um período de cura.

Quando os quadros de calázio reaparecem com frequência, é importante investigar as causas. Em muitas situações, a presença contínua desse tipo de inflamação está relacionada a algum problema de refração no olho, como astigmatismo, hipermetropia ou miopia.

Tratando o calázio e o terçol de maneira adequada

Ainda que os tratamentos para os problemas sejam simples, é comum que uma pessoa que não seja da área médica confunda as duas doenças. Por isso, aqui vão algumas recomendações:

JAMAIS RECORRA À AUTOMEDICAÇÃO

Muitas vezes, aquele colírio ou pomada que parece inofensivo e que aliviou os sintomas de um familiar ou de um amigo pode não ser o mais indicado para o seu caso e, consequentemente, trazer complicações.

calazio

CALÁZIO

APLIQUE COMPRESSAS MORNAS

No que diz respeito ao calázio, o tratamento mais comum consiste na aplicação de compressas mornas, que auxiliam na drenagem do líquido e amenizam os sintomas. O uso de pomadas, medicamentos corticoides ou antibióticos pode ou não ser indicado.

CIRURGIA PARA DESOBSTRUÇÃO DO DUTO

Caso o quadro se repita com muita frequência, existe a possibilidade de que o oftalmologista indique uma cirurgia para a desobstrução do duto e remoção do calázio. As complicações e as cicatrizes são raras para esse procedimento.

terçol

TERÇOL

COMPRESSAS, COLÍRIOS OU POMADAS COM ANTIBIÓTICOS

Em relação ao terçol, o tratamento também é feito com compressas mornas, mas o oftalmologista poderá prescrever ainda colírios ou pomadas com antibióticos.

Em alguns casos específicos, como os de pacientes com idade avançada ou debilitados por alguma outra doença, pode ser necessário tomar antibióticos por via oral a fim de evitar que a infecção se estenda para outras áreas.

SIGA AS RECOMENDAÇÕES MÉDICAS

Se não for tratado, o terçol pode provocar inflamação nos olhos, chamada de “celulite”. Por isso, é importante seguir as recomendações rigorosamente e retornar ao oftalmologista se os sintomas persistirem por mais de 15 dias.

Cuidados adicionais

Ainda que não sejam problemas graves ou contagiosos, o calázio e o terçol exigem tratamento preciso, devendo-se, portanto, tomar alguns cuidados para se resguardar de complicações. Evite:

  • Pressionar o nódulo com a mão ou com qualquer objeto. Geralmente, ele regride de maneira espontânea e não costuma deixar cicatriz.
  • Aplicar maquiagem ou cremes na região dos olhos. Os produtos intensificam o incômodo e contribuem para o entupimento do duto.
  • Usar lentes de contato. Além de aumentar a sensação de desconforto, as secreções infectadas podem contaminar o material e trazer problemas futuros.

Previna-se!

Embora não seja possível evitar totalmente o calázio ou o terçol, algumas medidas podem ser adotadas para minimizar as chances de contrair as doenças. Saiba quais são elas:

  • Lave as mãos com frequência e evite esfregá-las no rosto, especialmente quando já houver algum tipo de lesão.
  • Cultive o hábito de fazer checkups oftalmológicos rotineiros buscando diagnosticar precocemente qualquer problema de visão e investigar o reaparecimento de quadros de calázio.
  • Mantenha a pele higienizada com produtos de PH neutro a fim de evitar que o excesso de oleosidade impeça a saída de secreção das pálpebras e contribua para a formação de calázios.

Como você pode ver, apesar do incômodo que provocam, tanto o calázio quanto o terçol têm cura e não trazem consequências graves à sua saúde ocular quando tratados adequadamente. Por isso, busque sempre um oftalmologista!

Agora que você tem conhecimento da diferença entre calázio e terçol, não se esqueça de seguir as recomendações para a prevenção dessas doenças. Se você tiver dúvidas sobre o assunto, marque uma consulta com um de nossos especialistas. Estamos à sua disposição!

Está com alguma dúvida? Envie sua pergunta para que possamos te ajudar.

Leia também

  • Neurovisão
    Como problemas de visão podem afetar a estabilidade postural?
    Manter uma boa postura não é apenas se preocupar com as temidas dores nas costas, é também entender que ela pode ter relação com o seu sistema visual.
    saiba mais
  • Cuidados
    Como o uso excessivo da tecnologia pode prejudicar a sua visão?
    Saiba como o uso excessivo de aparelhos eletrônicos afetam diretamente o funcionamento do seu metabolismo e do sistema visual.
    saiba mais
  • Neurovisão
    Síndrome de Irlen: um distúrbio no processamento visual
    Enjoos em viagens de carro, dores de cabeça muito fortes após esforços visuais prolongados e sensibilidade à luz.
    saiba mais

Quer receber mais conteúdo? Assine!

Marque sua consulta!